Abit integra o projeto “A moda pela água”

13/08/2019

Um espaço livre do ambiente comercial, onde empresas e sociedade civil conversam, discutem propostas de uso consciente da água e encontram soluções juntos. Essa é a missão do projeto “A moda pela água”, iniciativa que visa promover a transparência em toda a cadeia da moda incrementando as boas práticas. A plataforma foi lançada pelo Movimento Ecoera, em maio de 2019. 

A Abit é uma das empresas “guardiãs da água”. Também estão no projeto: Sou de Algodão, Damyller, Ecoera, Farm, Grupo Lunelli, H2O Company e Iniciativa Verde. “Moda, sustentabilidade, tecnologia, design, inovação, serão fatores fundamentais para que tenhamos um futuro melhor. Eu tenho certeza que esses trabalhos que estão sendo feitos agora como, por exemplo, a visão do movimento A Moda Pela Água, são um grande passo para que possamos orientar, educar, informar e disseminar melhores praticas e melhores hábitos de consumo e cuidados com o vestuário e todas as peças confeccionadas que estão no nosso lar”, declara o presidente da Abit, Fernando Pimentel. 

Fernando Pimentel: "Moda, sustentabilidade, tecnologia, design, inovação, serão fatores fundamentais para que tenhamos um futuro melhor"

Sabe-se que atualmente a moda gasta 80 bilhões de m3 de água por ano e esses dados demonstram urgência em se discutir o tema “A moda é repórter do seu tempo e hoje existe a necessidade de se falar sobre o uso responsável da água e de que forma isso afeta toda indústria”, afirma Chiara Gadaleta, expert em sustentabilidade de moda e fundadora do Movimento Ecoera. 

Durante reunião do projeto, Chiara Gadaleta conversa sobre sustentabilidade com a jornalista Andrea Vialli, na Abit

Com a evolução do programa, iniciativas concretas começarão a ser colocadas em prática e o resultado de todo esse processo será apresentado no primeiro SUMMIT da Água na Moda, que será realizado em 2020, em 20 de março, em referência ao Dia Mundial da Água, 22 de março. Durante o seminário, empresas de moda, agentes do terceiro setor e consumidores finais participarão de debates, mesas redondas e painéis sobre os próximos passos para diminuir o impacto hídrico. “Trata-se de uma responsabilidade compartilhada e cada um de nós pode colaborar para que a moda se comprometa a promover essa mudança. Estamos falando de um recurso vital pra a nossa sobrevivência”, reforça Chiara Gadaleta.