Central de Criação e Corte do Polo de Moda gaúcho atende 40 empresas em 10 meses de operação

19/12/2018

Os primeiros 10 meses de funcionamento da Central Coletiva de CAD - Criação Assistida por Computador - e Corte do APL Polo de Moda da Serra Gaúcha, em Caxias do Sul (RS), renderam ótimos resultados para a cadeia de moda. Desde março deste ano, 41 empresas utilizaram o espaço, com retorno de 70% delas. Foram 342 horas de trabalho e mais de 25.700 peças cortadas.

O complexo, com tecnologia japonesa e primeiro do Rio Grande do Sul a oferecer esse serviço ao setor têxtil, está disponível para pequenas, médias e grandes empresas de confecção que hoje realizam o corte de maneira manual. O valor do investimento para a aquisição dos equipamentos de R$ 1,6 milhão foi captado por meio do BID (Banco Mundial via Secretaria de Desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul).

A Central pode operar 24 horas por dia, com média de 10 mil a 15 mil peças/dia. “Se trabalhados 22 dias, é possível uma média de 300 mil peças/mês. Portanto, a capacidade de produção é imensa se considerarmos que a maioria das empresas da nossa região é de pequeno e médio porte”, ressalta o presidente do Polo, Sidimar Remussi.

A proprietária da Magia Doce Confecções, Roberta Stangherlin, ressalta que já utilizou a central em diferentes momentos. “Tenho uma confecção de pijamas infantis e o diferencial ao utilizar o complexo é a economia de tempo e de dinheiro. Buscamos o espaço para melhorar o processo de produção e otimizar o tempo e tivemos retorno com precisão no corte, rapidez e custo/beneficio”.

Polo de Moda da Serra Gaúcha atende 40 empresas - Crédito de imagem: Jair Franceschini

Para Cristina Guarese Turra, proprietária da Confecção Costurra, de Flores da Cunha, o complexo deu agilidade e qualidade à produção. “Fabricamos moda feminina e estamos há três anos no mercado. Esse ano o volume de peças aumentou e, ao invés de ampliar a empresa, busquei o complexo. Percebi uma redução de 10% no desperdício de tecido e melhor aproveitamento do material, conseguindo fabricar de 5% a 10% mais peças no rolo”, comemora a empresária.

“Com os excelentes resultados obtidos nesses primeiros meses de operação, já estamos programando a ampliação do complexo. Para o primeiro semestre de 2019, estamos prevendo a aquisição de mais duas máquinas para complementar o processo. Está em análise a compra de uma fusionadeira e uma bordadeira”, destaca Remussi.

A Central Coletiva possui máquina de corte automatizado com sucção, mesa de enfesto com 13 metros de comprimento, máquina de enfesto de tecido automática, plotter de 2,20 metros, sistema de modelagem Weltcad e mesa digitalizadora com precisão para digitalização de moldes. No complexo, é possível cortar todos os tipos de tecidos, inclusive não tecidos com avaliação da área técnica do Polo de Moda. A Central está localizada no bairro Cidade Nova, junto ao APL Polo de Moda.





Área do Associado
Esqueci minha senha